Triste partida de um amigo

| 4 Comentários

Amigos,
De fato, é extremamente difícil estar longe quando amigos tão próximos estão passando por momentos difíceis em suas vidas. Nos últimos dois dias, só notícias ruins.

Mas queria aproveitar o espaço para chorar pelo falecimento de João Melo Filho. Éramos muito próximos – além de amigos, vizinhos. Tive a sorte de falar com ele na quinta, mas o azar de não mais poder fazê-lo. É grande a dor de não poder estar perto de sua família nem de poder estar perto nos seus últimos momentos.
João era família. Era alguém que me queria bem como a um filho. É curioso como certas amizades são assim. Ele, ateu. Eu, cristão protestante. Ele, contra Lula e Dilma, eu, petista. Poucas vezes conheci alguém tão generoso, tão decente e tão sério em tudo o que fazia.

Quando finalmente decidi viver de forma completamente independente, foi João quem me conseguiu um apartamento. Ele se ofereceu como fiador antes mesmo de eu saber que iria alugar o imóvel. Sua atenção para comigo era algo que me honrava e me inspirava. Era sempre um prazer quando ele interfonava e aparecia para um café, quando colocávamos a prosa em dia.

Sua morte dói pela perda, pela distância, por saber que, com sua ida, um pouco de minha vida como eu a conhecia também se foi. Já era doído estar longe dele, e ainda é pior saber que não vou mais estar com ele, nem saber de suas novidades pelo Skype, nem ajudá-lo com algum problema com o iPad.

Permitam-me estar triste hoje. A vida longe dos amigos nunca é perfeita. A vida sem um amigo é trágica e insossa.

Autor: oculos

the guy who writes here... :D

4 Comments

  1. Conheci Dr João Melo Filho quando tinha 16 anos de idade e devido uma crise de depressão profunda. Este como um profissional competente e exemplar e acima de tudo solidário e humano, conseguiu me ajudar e minha família, em um dos momentos mais difícies da minha vida.
    Atualmente,formada e no exercício da profissão, há um ano atrás, procurei seu consultório, mas sem êxito e deixei passar a oportunidade, de agradecer-lhe por sua ajuda profissional.
    Hoje, com 27 anos de idade, e precisando de auxílio novamente, queria marcar uma consulta com este, antes de deslocar da minha cidade, mas achei estranho o telefone não atender.
    Dor maior foi colocar no google seu nome e tomar conhecimento do seu falecimento. A angústia, lágrimas e soluços foram inevitáveis.
    Acredito que não estaria aqui hoje ou teria conseguido meus objetivos profissionais, sem sua ajuda lá no passado. Este era uma pessoa séria, culta, perspicaz, que fará falta em todos os segmentos.

  2. Prezada Lia, sinto muito ter descoberto assim a partida do meu amigo João. Sua ausência ainda me é sentida, e duvido qeu não a sentirei.

  3. Prezado Oculos,

    Sinto muito também. Guardarei as lembranças e conselhos deste profissional grandioso. Que confortante a descoberta do Blog de Dr João Melo, não canso de ler.

    Att.
    Lia

  4. Pingback: ManéBlog » Blog Archive » Um dia no julgamento de Breivik

Deixe um comentário...

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: